Desenvolvendo um sistema de enquete PHP/MySQL Parte 1 – Planejamento (Novo)

Posted by Bento | Posted in Artigos, Desenvolvimento, PHP | Posted on 25-04-2013-05-2008

2

Editado em 01/05/2013 19:20h
Desenvolvendo um sistema de enquete (Novo) PHP/MySQL Parte 1 (Planejamento)

A pedido de alguns de visitantes estou reformulando o tutorial antigo de enquete.
O primeiro passo é definirmos a estrutura que iremos trabalhar. Esta estapa é um levantamento das informações que vamos precisar.
Este será um sistema para enquetes com ilimitadas opções, sendo que no tutorial anterior eu havia criado o banco de dados com varias colunas, porém não é o ideal, pois não devemos ter colunas na tabela que não serão utilizadas.

Na segunda parte, estarei fazendo um código mais simplificado pois o foco deste tutorial é trabalhar mais o conceito da enquete.

Abaixo vou colocar o código das tabelas do banco e irei explicar o que será armazenado em cada uma.

Para entender o porque usei algumas siglas nas colunas, sugiro a leitura do Artigo:
Padrões para Nomenclatura em um banco de dados
http://blog.fabianobento.com.br/2011/09/padroes-para-nomenclatura-em-um-banco-de-dados/

Diagrama
diagram_enquete
Começando pela tabela das perguntas.

Precisamos, de um código para a enquete, a data do cadastro para sabermos quando foi cadastrada. Eu coloquei a coluna DT_INICIO, DT_FIM, para configuramos no código fonte quando a enquete será iniciada e encerrada, desta forma não seria necessário acessar o painel de controle para esta tarefa.

CREATE TABLE IF NOT EXISTS `enquete_perguntas` (
  `CD_ENQUETE` int(11) NOT NULL AUTO_INCREMENT COMMENT 'codigo da enquete',
  `DT_CADASTRO` timestamp NOT NULL DEFAULT CURRENT_TIMESTAMP COMMENT 'data do cadastro',
  `NM_ENQUETE` varchar(150) NOT NULL COMMENT 'nome da enquete',
  `DS_PERGUNTA` varchar(150) NOT NULL COMMENT 'pergunta da enquete',
  `DT_INICIO` date NOT NULL COMMENT 'data inicio que será exibida',
  `DT_FIM` date NOT NULL COMMENT 'data final da exibição no site',
  `IE_SITUACAO` enum('A','I') NOT NULL COMMENT 'situação da enquete, Ativa ou Inativa',
  PRIMARY KEY (`CD_ENQUETE`),
  UNIQUE KEY `DT_INICIO` (`DT_INICIO`),
  UNIQUE KEY `DT_FIM` (`DT_FIM`)
) ENGINE=InnoDB  DEFAULT CHARSET=latin1 COMMENT='Entidade para armazenar as perguntas das enquetes' AUTO_INCREMENT=2 ;

--
-- Extraindo dados da tabela `enquete_perguntas`
--

INSERT INTO `enquete_perguntas` (`CD_ENQUETE`, `DT_CADASTRO`, `NM_ENQUETE`, `DS_PERGUNTA`, `DT_INICIO`, `DT_FIM`, `IE_SITUACAO`) VALUES
(1, '2013-04-25 17:48:15', 'Operadora de Celular', 'Qual sua operadora de celular?', '2013-04-25', '2013-04-30', 'A');

Como estamos fazendo um sistema para ilimitadas opções, precisamos de uma outra tabela para armazenas estes dados.

--
-- Estrutura da tabela `enquete_opcoes`
--

CREATE TABLE IF NOT EXISTS `enquete_opcoes` (
  `NR_OPCAO` int(11) NOT NULL AUTO_INCREMENT COMMENT 'numero da opção',
  `CD_ENQUETE` int(11) NOT NULL COMMENT 'FK codigo da enquete',
  `DS_OPCAO` varchar(150) NOT NULL COMMENT 'descrição da opção',
  `QT_VOTO` int(11) NOT NULL DEFAULT '0' COMMENT 'quantidade de votos',
  PRIMARY KEY (`NR_OPCAO`),
  KEY `FK_enquete_opcoes` (`CD_ENQUETE`)
) ENGINE=InnoDB  DEFAULT CHARSET=latin1 COMMENT='Entidade para armazenar as opções das enquetes' AUTO_INCREMENT=7 ;

--
-- Extraindo dados da tabela `enquete_opcoes`
--

INSERT INTO `enquete_opcoes` (`NR_OPCAO`, `CD_ENQUETE`, `DS_OPCAO`, `QT_VOTO`) VALUES
(1, 1, 'Claro', 0),
(2, 1, 'Tim', 0),
(3, 1, 'Vivo', 0),
(4, 1, 'Oi', 0),
(5, 1, 'Não tenho celular.', 0),
(6, 1, 'Outra operadora', 0);

Tabela para armazenar os comentários das enquetes.

--
-- Estrutura da tabela `enquete_comentarios`
--

CREATE TABLE IF NOT EXISTS `enquete_comentarios` (
  `NR_SEQUENCIA` int(11) NOT NULL AUTO_INCREMENT COMMENT 'Numero sequencial',
  `CD_ENQUETE` int(11) NOT NULL COMMENT 'FK codigo da enquete',
  `DT_ENVIO` timestamp NOT NULL DEFAULT CURRENT_TIMESTAMP COMMENT 'Data que o comentário foi enviado',
  `NR_IP` varchar(20) NOT NULL COMMENT 'numero de IP da pessoa que enviou',
  `NM_PESSOA` varchar(30) NOT NULL COMMENT 'nome da pessoa',
  `DS_EMAIL` varchar(60) NOT NULL COMMENT 'email da pessoa',
  `DS_COMENTARIO` tinytext NOT NULL COMMENT 'comentario sobre a enquete',
  `IE_SITUACAO` enum('A','P','R') NOT NULL COMMENT 'situação, Ativo, Bloqueado, Pendente de aprovação',
  PRIMARY KEY (`NR_SEQUENCIA`),
  KEY `FK_enquete_comentarios` (`CD_ENQUETE`)
) ENGINE=InnoDB DEFAULT CHARSET=latin1 COMMENT='Entidade para armazenar os comentários' AUTO_INCREMENT=1 ;

Esta tabela é uma das mais importantes, pois estaremos armazenando os logs de tudo o que acontecer com nossa enquete como; quem votou, quando, IP, e caso algum engraçadinho tente negativar sua enquete você poderá analisar os logs para identificar se houve alguma tentativa de burlar a enquete.

--
-- Estrutura da tabela `enquete_logs`
--

CREATE TABLE IF NOT EXISTS `enquete_logs` (
  `NR_SEQUENCIA` int(11) NOT NULL AUTO_INCREMENT,
  `CD_ENQUETE` int(11) NOT NULL,
  `NR_OPCAO` int(11) NOT NULL,
  `DT_ENVIO` timestamp NOT NULL DEFAULT CURRENT_TIMESTAMP,
  `NR_IP` varchar(20) NOT NULL,
  PRIMARY KEY (`NR_SEQUENCIA`),
  KEY `NR_OPCAO` (`NR_OPCAO`),
  KEY `CD_ENQUETE` (`CD_ENQUETE`)
) ENGINE=InnoDB  DEFAULT CHARSET=latin1 COMMENT='Entidade para armazenar os LOGs' AUTO_INCREMENT=19 ;

--
-- Extraindo dados da tabela `enquete_logs`
--
INSERT INTO `enquete_logs` (`NR_SEQUENCIA`, `CD_ENQUETE`, `NR_OPCAO`, `DT_ENVIO`, `NR_IP`) VALUES
(6, 1, 4, '2013-04-30 03:26:58', '127.0.0.1'),
(7, 1, 1, '2013-04-30 03:27:01', '127.0.0.1');

Relacionamentos entre as tabelas

--
-- Restrições para a tabela `enquete_comentarios`
--
ALTER TABLE `enquete_comentarios`
  ADD CONSTRAINT `FK_enquete_comentarios` FOREIGN KEY (`CD_ENQUETE`) REFERENCES `enquete_perguntas` (`CD_ENQUETE`);

--
-- Restrições para a tabela `enquete_logs`
--
ALTER TABLE `enquete_logs`
  ADD CONSTRAINT `FK_enquete_logs` FOREIGN KEY (`NR_OPCAO`) REFERENCES `enquete_opcoes` (`NR_OPCAO`);

--
-- Restrições para a tabela `enquete_opcoes`
--
ALTER TABLE `enquete_opcoes`
  ADD CONSTRAINT `FK_enquete_opcoes` FOREIGN KEY (`CD_ENQUETE`) REFERENCES `enquete_perguntas` (`CD_ENQUETE`);

5S

Posted by Bento | Posted in Qualidade | Posted on 23-04-2013-05-2008

0

Origem: Wikipédia

Etapa inicial e base para implantação da Qualidade Total, o Programa 5S é assim chamado devido a primeira letra de 5 palavras japonesas: Seiri (utilização), Seiton (ordenação), Seiso (limpeza), Seiketsu (higiene) e Shitsuke (autodisciplina). O programa tem como objetivo mobilizar, motivar e conscientizar toda a empresa para a Qualidade Total, através da organização e da disciplina no local de trabalho.

Denominação Conceito Objetivo particular
Português Japonês

Utilização , Seiri Separar o necessário do desnecessário Eliminar do espaço de trabalho o que seja inútil

Ordenação , Seiton Colocar cada coisa em seu devido lugar Organizar o espaço de trabalho de forma eficaz

Limpeza , Seis? Limpar e cuidar do ambiente de trabalho Melhorar o nível de limpeza

Saúde , Seiketsu Tornar saudável o ambiente de trabalho Prevenir o aparecimento de supérfluos e a desordem

Autodisciplina , Shitsuke Rotinizar e padronizar a aplicação dos S anteriores Incentivar esforços de aprimoramento

A metodologia possibilita desenvolver um planejamento sistemático, permitindo de imediato maior produtividade, segurança, clima organizacional e motivação dos funcionários, com consequente melhoria da competitividade organizacional.
Os propósitos da metodologia 5S são de melhorar a eficiência através da destinação adequada de materiais (separar o que é necessário do desnecessário), organização, limpeza e identificação de materiais e espaços e a manutenção e melhoria do próprio 5S.

Os principais benefícios da metodologia 5S são:

-Maior produtividade pela redução da perda de tempo procurando por objetos. Só ficam no ambiente os objetos necessários e ao alcance da mão
-Redução de despesas e melhor aproveitamento de materiais. A acumulação excessiva de materiais tende à degeneração
-Melhoria da qualidade de produtos e serviços
-Menos acidentes do trabalho
-Maior satisfação das pessoas com o trabalho

5s Kaoru Ishikawa

Subindo a base e listener do banco Oracle 11g, após ligar o servidor

Posted by Bento | Posted in Banco de Dados, CentOS, Oracle, Red Hat | Posted on 07-04-2013-05-2008

3

Subindo a base e listener do banco Oracle 11g, após ligar o servidor

Neste video de hoje vou mostrar como subir o serviço do Oracle após ligar o servidor com o oracle já instalado e configurado.

Link do Video: https://www.youtube.com/watch?v=9v_yHPofgnQ

Comandos:

//Ativando o LISTENER
$lsnrctl start
//Parando o LISTENER
$lsnrctl stop
//Conectando localmente no servidor
$sqlplus / as sysdba
//Ativando a base de dados
SQL> startup
//Parando a base de dados
SQL> shutdown immediate

Canal: https://www.youtube.com/user/Fabianowebdeveloper